O que é Ecocardiograma Pediátrico?

O ecocardiograma pediátrico é uma ferramenta diagnóstica valiosa no estudo de possíveis alterações cardíacas na infância. 

É um exame de ultrassom que permite a visualização de cavidades cardíacas, válvulas e principais vasos que chegam e saem do coração. As imagens são obtidas de diferentes ângulos do coração permitindo assim detecção de malformações cardíacas e de alterações em sua função. A avaliação funcional também é feita pela definição dos fluxos cardíacos pelo mapeamento em cores e pelo doppler. O mapeamento do fluxo em cores permite uma visualização do fluxo de sangue dentro do coração e dos grandes vasos (em geral, são utilizadas as cores azul e vermelho, sendo o fluxo em azul aquele que se afasta e o fluxo em vermelho aquele que se aproxima do transdutor). O doppler permite avaliação da direção e velocidades do sangue dentro do coração, vasos e através das válvulas cardíacas e pode também ser usado para definição da frequencia de batimentos cardíacos.

O ecocardiograma é realizado na região torácica da criança que deverá ser exposta para sua execução. Sugerimos assim uso de vestimentas que permitam fácil acesso a esta região, sem que seja necessária retirada de todas as suas vestes. Como a sala para execução de exames tem temperatura em torno de 20-22°, poderão ser levadas mantas, gorros, luvas ou outros recursos para seu conforto. A criança deverá permanecer tranquila para execução, obtenção e avaliação adequada das imagens. Se necessário, a criança poderá permanecer no colo de um dos pais durante exame. Outros recursos como brinquedos ou objetos preferidos pela criança poderão ser levados e utilizados durante realização de exame. Este é iniciado pela região superior do abdominal da criança, passando para região torácica a esquerda e finalizado na região do pescoço.

Atualmente, as principais indicações para realização de ecocardiograma pediátrico são: ausculta cardíaca de sopros; investigação de episódios de cianose ou desconforto para respirar; ecocardiograma fetal alterado; avaliação antes de cirurgias/exames que necessitem de anestesia; casos de cardiopatias congênitas na família, especialmente em parentes de primeiro grau; avaliação de crianças portadores de doenças genéticas.

Autora: Dra. Luciany Almeida de Carvalho – CRM: 12226

Fique por dentro das últimas notícias

Open chat